VOLTAR  PARA  O  PORTAL  INICIAL
      A Companhia Rodas no Salão foi pioneira na Bahia na modalidade "Dança Esportiva em Cadeira de Rodas", bem como à ganhar 03 Títulos Internacionais para o Brasil, com as duplas Cabral & Anete e Naldo & Daniele - Bi-Campeã Brasileira 5 Danças (2005-2006) e Campeã Brasileira 4 Danças (2008) respectivamente.
 
CIA
RODAS
no SALÃO
PATROCINADOR OFICIAL
FILIAÇÃO
 

Quem SomosDançasEventosMídiasPatrocíniosGaleriaContato

 
Notícias
Site melhor visualizado na resolução 1024 x 768

PARCERIAS

Seja você também um parceiro nosso!

DANÇA ESPORTIVA
DANÇA ARTÍSTICA
 

DANÇA ESPORTIVA INTERNACIONAL

A dança esportiva internacional em cadeira de rodas nasceu na década de 60 na Europa, onde é bastante praticada, popular e conceituada e teve sua primeira competição internacional no ano de 1977 na Suécia. A dança caracteriza-se principalmente pela formação de duplas de dançarinos, onde o casal é composto por um componente com deficiência física dançando em uma cadeira de rodas e um componente sem deficiência dançando em pé. Isto ao ritmo de músicas de dança de salão.

A dança esportiva em cadeira de rodas no mundo está sob o comando do WDSC (Wheelchair Dance Sport Committee) do IPC (Comitê Paraolímpico Internacional). Atualmente mais de 40 países estão registrados no IPC-WDSC, dentre eles o Brasil. A dança em cadeira de rodas é um esporte paraolímpico, mas ainda não está inclusa nos Jogos Paraolímpicos.

No Brasil a dança esportiva começou a ser estudada em novembro de 2001, durante o simpósio internacional de dança em cadeira de rodas, na Unicamp, em Campinas-SP, onde foi ministrado um curso desta modalidade pelo Profº Herbert Hausch - Técnico da Equipe Alemã.

O casal Luis Antonio Cruz (Cabral) e Anete Cruz, representantes da Bahia, participaram do curso e junto com representantes de varias entidades do país fundaram a CBDCR – Confederação Brasileira de Dança em Cadeira de Rodas, sob a presidência da Profª Drª Eliana Lucia Ferreira, idealizadora e responsável pelo simpósio.

Formando a dupla Cabral & Anete, os representantes baianos começaram a fomentar, estudar e treinar a nova modalidade esportiva, levando o nome da Bahia para campeonatos nacionais e, junto ao nome do Brasil, para campeonatos internacionais. Galgando para ambos vários títulos, como é descrito na História da CRS.

A Modalidade na Bahia e no Brasil vem crescendo ano após ano e ganhando cada vez mais adeptos e popularidade. Reconhecida pela Mídia Local, Mídia Nacional, Ministério de Esportes do Brasil e Comitês Paraolímpicos Nacional e Internacional.

Algumas Características dos Elementos Inerentes nas Competições:

Duplas:
• Um homem e uma mulher onde um dos dois deve ter deficiência física e dançar em cadeira de rodas: para “Combi Dance” que é aplicado nos campeonatos mundiais e em competições regionais;
• Um homem e uma mulher onde os dois deverão ter deficiência física e dançarem em cadeira de rodas: para “Duo Dance” que é aplicado nos campeonatos mundiais e em competições regionais;

• Todo usuário de CR (cadeira de rodas) deverá ter uma deficiência mínima que o impeça de dançar em pé de forma convencional e o andante deverá ter as condições necessárias e saber dançar e conduzir bem a dança;
• Os treinadores não deveriam participar das competições, pois se eles competem, darão menos de si para coreografar;
• Dançarinos cadeirantes deverão passar por uma classificação funcional, onde avaliados até 14 pontos pertencerão a classe 1 (LWD1) e acima de 14 pontos pertencerão a classe 2 (LWD2);

Cada dançarino só poderá dançar com um parceiro (nas competições oficiais e aprovadas pelo IPC).

Música
• Existem 02 Classificações Rítmicas para competições:
1) 5 Danças Latinas (samba, chá-chá-chá, rumba, paso doble e jive)
2) 5 Danças Standards (valsa lenta, tango, valsa vienense, slow fox e quick step);
A Duração das músicas varia entre 1:30 e 2:00min, e só são conhecidas na hora de dançar.

Espaço
• A área mínima deve ser de 200m2 para 8 pares.

Critérios de Avaliação
São os mesmos para andantes e cadeirantes (principalmente nas posições típicas). Eis alguns:
• Ritmo: ponto mais importante;
• Movimentos técnicos: incluem trabalho do corpo, roda, pés, conexão entre os dançarinos, condução, linhas corporais;
• Caráter do Movimento: marcado pelo ritmo da música.

SITES E LIVRO INTERESSANTES:

• Sites:
1. www.cbdcr.org.br
2. www.paraolympic.com
3. www.wdr.ru
4. www.maltawda.com
5. www.swing-duet.org.pl

• Livro:
Technique of Latin Dancing (de Walter Laird). editora IDTA

   
 

 

 

 

Contato da Cia